Bebidas saudáveis crescem mais que os refrigerantes

0

A empresa global de pesquisa de mercado Euromonitor International divulgou novos dados sobre a indústria de bebidas não alcoólicas e bebidas quentes. Em 2016, o volume global de vendas aumentou 3% em comparação com o ano anterior. No Brasil, entretanto, o cenário foi um pouco diferente. Impactado pela crise, o mercado brasileiro de bebidas não alcoólicas – 6º maior do mundo em volume – vem sofrendo uma retração desde o início da crise econômica em 2014. De acordo com a pesquisa, os refrigerantes foram os produtos mais afetados pela crise apresentando uma contração de crescimento de -5,3%. “As vendas de refrigerantes continuam em retração, com o consumidor buscando alternativas proporcionalmente mais baratas, como os concentrados em pó”, explica Angelica Salado, analista de pesquisa da Euromonitor International.

Na contramão, as bebidas saudáveis tiveram um desempenho positivo em 2016; as categorias dos sucos e água engarrafada apresentaram taxa de crescimento de 2,51% e 5,1%, respectivamente. O consumidor continua comprando as bebidas com açúcar reduzido, porém, buscam mais que isso nos rótulos das embalagens. Mais bem informado e muito exigente, ele busca diferencial na funcionalidade do produto sem abrir mão do sabor”, acrescenta Angelica.

Com uma diversidade maior de marcas na gôndola, o consumidor passou a ser menos fiel às marcas para garantir o consumo das categorias dos seus produtos favoritos. “Essa mudança na ‘balança do poder’ desafia as marcas a constantemente provarem seu valor”, finaliza Angelica.

Sobre a Euromonitor International
A Euromonitor International é uma empresa global de pesquisa e consultoria sobre o mercado de bens de consumo e serviços. Com sede em Londres e mais de 40 anos de atuação, é líder no fornecimento de inteligência de negócios e análise estratégica de mercado para empresas em todo o mundo. Oferece soluções de pesquisa customizada e publica anualmente informações sobre desempenho e tendências de 30 setores em 80 países, além de agregar dados demográficos e socioeconômicos de países e consumidores.

Matéria extraída do site da Apex-Brasil.