Embalagens de pescado: um oceano de oportunidades

3

Em 2015, pudemos observar, na Europa, vários movimentos em defesa da preservação da vida marinha, especialmente de peixes, como os que visam a regulamentação de períodos e regiões em que certas espécies de peixes devem ser intocáveis, a exemplo do programa Dolphin Safe.

Peixes sempre tiveram papel importante na alimentação de várias comunidades, sendo considerados uma das opções mais saudáveis. Por outro lado, se deterioram e contaminam muito facilmente. Daí a importância de boas embalagens e processos que garantam a adequada conservação de seus nutrientes.

Observamos inovações que propõem melhorar essa situação, como as embalagens que recentemente encontramos pela Europa. A rede francesa de supermercado Auchan está adotando embalagens de alumínio com abertura easy open (fácil de abrir) e sobretampa de plástico para garantir refechamento, no caso de não se consumir de uma só vez. Destacaria ainda nessa embalagem a impressão total, com tampa, fundo e laterais em alta definição. Assim, não importa a posição que fique no ponto de venda, o consumidor a perceberá. Além disso, mesmo em diferentes formas (algumas têm fundo bem arredondado, outras nem tanto), todas permitem empilhamento. A embalagem da marca Petit Navire, por exemplo, tem o formato cônico, o que garante o transporte entre a fábrica de latas para a operação de envase com maior eficiência.

Na Alemanha, a empresa Nixe entrega aos seus consumidores uma salada de atum com outros ingredientes já temperados no modo mexicano. A embalagem não é impressa, pois utiliza uma bandeja semirrígida, que é um padrão de mercado de food service com selagem em folha de alumínio. À embalagem primária são agregadas uma colherzinha embalada e uma luva de papel cartão bem impressa que se encarrega de fornecer todas as informações do produto. A rede Aldi, também alemã, aposta numa embalagem ainda mais simples e que não demanda grandes lotes mínimos de impressão para sua linha de marca própria. Optaram por selar com filme transparente e usar uma cinta plástica para identificação do produto, barateando a solução.

Na Áustria, a Inzersdorfer oferece um patê de truta numa bandeja também standard (padrão) na cor branca selada com folha de alumínio na mesma cor. A decoração é feita elegantemente com um rótulo autoadesivo do tipo bula, de tal forma que o consumidor possa encontrar receitas sobre ele para conhecer outros usos do produto.

Em todas as apresentações notamos o destaque dado às questões da preservação e aos cuidados da produção, assim como aos atributos do produto. Acreditamos que a opção pelo alumínio deva ter sido pela nobreza e leveza do material, assim como pelas possibilidades de impressão de boa qualidade, selagem em mesmo material ou em filme transparente, alternativas de decoração que diminuem os lotes mínimos e alta reciclabilidade.

Matéria extraída do site Seafood Brasil.