TENDÊNCIAS EM EMBALAGENS PARA COSMÉTICOS E PERSONAL CARE

25

A embalagem traz uma primeira e duradoura impressão sobre os consumidores, e, no negócio de beleza, essa impressão é tudo. A especialista em materiais e design Leslie Sherr – coautora do livro Material Innovation: Packaging – traz algumas valiosas informações sobre as principais tendências em embalagens para este segmento, no futuro próximo.

As tendências em embalagens refletem diretamente nas tendências em produtos e do consumidor no mundo da beleza e dos cuidados pessoais. Portanto, há um pouco de variação ao longo de toda a indústria, explica Sherr: “Felizmente, o mundo do estilo e da beleza evoluiu para um lugar onde se celebra a individualidade, e as opções de como cuidar de si são tantas, que o cuidado corporal é agora semelhante a uma jornada pessoal. Essa amplitude é refletida na embalagem dos produtos de beleza“.

Sherr aponta algumas tendências globais que impactam no design das embalagens de cuidados pessoais:

  • elegante e minimalista
  • orgânica e artesanal
  • inspirada pela ciência
  • inspirada em antigas práticas naturais
  • fitness
  • beleza sem idade

Esta última é a tendência mais falada por analistas e especialistas de todas as áreas da indústria e, supostamente, será relevante por um tempo considerável.

Para algumas categorias, como skincare de luxo, a embalagem não é usada somente para comunicar as tendências e os valores de uma marca, mas também indicam, sutilmente, o modo pelo qual os consumidores devem usar cada produto. Sherr elabora: “Entre as marcas de skincare de luxo que vêm embaladas como um “sistema”, há um desejo por projetos que ofereçam uma compreensão intuitiva de como o produto irá funcionar e como ele deve ser aplicado”.

Da mesma forma, o que Sherr chama de “dermatologia-chique” é comumente traduzido pelos designers por superfícies brilhantes e paletas de branco-prata, enfatizando a pureza e eficácia dos produtos.

Sherr tem um bom conselho para as marcas, na escolha dos materiais de embalagem em alta. “Um bom design clássico dura; tendências não. A questão que deve ser feita é: O que é certo para a marca, como expressar seus valores fundamentais através de uma paleta de material?” Ela continua: “Materiais devem ser adequados para as ideias e atividades que representam. Pela mesma razão, a sua utilização e aplicação devem também ser consideradas.”

No final, “os designs mais bem-sucedidos permanecem a longo prazo, de modo que eles precisam ser contemporâneos o suficiente para refletir o seu momento, porém não tão vítimas da moda a ponto de parecerem obsoletos antes do tempo”, observa Sherr.

Quando perguntada sobre sua previsão para o futuro da embalagem de beleza, Sherr diz que, no mercado de luxo, em breve menos será mais. Consumidores de beleza de todos os níveis estão fazendo opções de compra mais conscientes, quando se trata do meio ambiente. Sherr afirma ainda que “os consumidores querem se sentir bem com suas escolhas”. Na verdade, ninguém quer se sentir culpado ou desperdiçando, ao escolher um produto.

“O luxo”, finaliza ela, “já não precisa ser transmitido através de várias camadas de embalagem. Portanto, procure uma redução efetiva na embalagem secundária. “

(Fonte: Cosmetic Innovation, 09 de setembro de 2015)

Matéria extraída do site ABRE – Associação Brasileira de Embalagem